Podologistas retomam atividade de consultas programadas de podologia

A Associação Portuguesa de Podologia (APP), seguindo as orientações das Entidades de Saúde, avança que a atividade de podologia nas clínicas e consultórios de podologia deve ser retomada, de forma gradual e consciente, tendo em consideração as medidas já recomendadas e necessárias no controlo da infeção provocada pelo COVID-19.

“Face ao levantamento do Estado de Emergência, entendemos que a retoma da atividade de consultas programadas de podologia deve ser de forma segura e progressiva. Neste período, de retoma, devemos ser cautelosos e adotar as medidas de prevenção e contenção da transmissão da doença, que toda a população, e de forma particular os profissionais de saúde, têm em consideração para o controlo da epidemia”, justifica Manuel Portela, presidente da APP.

“Somos agentes de saúde publica no controlo da infeção, na prevenção de recidivas e de novos picos da pandemia. Entendemos que a segurança e a proteção de todos os agendes é imprescindível e por isso devemos seguir com rigor o protocolo recomendado pela APP. Nesta fase de reinício, durante a realização das consultas, os profissionais devem dar prioridade às situações e consultas anteriormente adiadas e mais urgentes e, sempre que possível, os procedimentos cirúrgicos devem ser programados em função da situação de urgência.”, acrescenta Manuel Portela.

A retoma das consultas programadas de podologia deve ser realizada tendo em consideração todas as medidas de autoproteção, proteção dos colaboradores da clínica e de uma forma muito cautelosa de proteção dos doentes.

Assim, e de acordo com as orientações das Entidades de Saúde, a APP recomenda a adoção do seguinte protocolo nas consultas de podologia:

  • Colocar cartazes na sala de espera e na casa de banho sobre o procedimento de lavagem das mãos e de etiqueta respiratória;
  • Retirar da sala de espera revistas, folhetos e outros objetos que possam ser manuseados por várias pessoas;
  • Colocação de acrílico no balcão de atendimento para evitar circulação de aerossóis entre o doente e o pessoal da receção;
  • Dar formação às auxiliares e assistentes dos consultórios sobre os procedimentos de proteção e higienização constante dos espaços, superfícies, cadeiras, equipamentos;
  • Terminais de Pagamento Automáticos;
  • Sempre que possível implementar circuitos de circulação de doentes e profissionais para evitar cruzamentos entre pessoas no interior da clínica;
  • Aferir junto do paciente se apresenta sintomas compatíveis com o COVID-19 (febre, ainda que modesta; tosse; espirros; conjuntivite; diarreia; rinite), se esteve em viagem ou em contacto com pessoas infetadas pelo COVID 19;
  • Gerir as marcações de forma a evitar ter mais que um utente em sala de espera;
  • Informar os utentes sobre as medidas de segurança, em particular manter uma distância de cerca de 2 metros, lavar as mãos antes de entrar e usar a solução alcoólica quando entrar e sair do consultório e não entrar com as peças de roupa que vão retirar;
  • Oferecer material de proteção aos doentes, nomeadamente máscaras e educar sobre o seu bom uso (uso obrigatório de máscara pelo doente e acompanhante);
  • Evitar a permanência de familiares ou acompanhantes no interior do consultório;
  • Adaptar um acrílico na cadeira de podologia para evitar a circulação de aerossóis entre o doente e o podologista;
  • Usar luvas e máscara do tipo PFF2 ou outra certificada, ou em alternativa duas máscaras cirúrgicas;
  • Usar óculos de proteção ou viseira;
  • Usar farda, touca e bata cirúrgica descartável ou usar fato impermeável de proteção;
  • Usar socos ou proteção de calçado.

Os podologistas devem também implementar medidas especificas na realização de procedimentos que comprometam a vulnerabilidade dos doentes, nomeadamente em tratamentos invasivos, mantendo vigentes as medidas de segurança recomendadas.

Caso exista qualquer ocorrência relacionada com o COVID 19, devem reportar à APP e às autoridades de saúde pública.

A Associação Portuguesa de Podologia vai manter a atenção devida relativamente ao desenvolvimento do coronavírus em Portugal e recomenta analisar toda a informação disponível no link da Direção-Geral da Saúde www.dgs.pt/corona-virus.aspx.

Descarregue o protocolo completo aqui

Share