Podologistas preocupados com doentes que sofrem de pé diabético

APP

“Após três meses de confinamento, muitas foram as pessoas que ficaram privadas das suas consultas, levando a que cuidassem menos dos seus pés, e, consequentemente, deixando que outras doenças de maior gravidade avançassem. Face a este fator, é importante consciencializar as pessoas para a retoma dos cuidados a ter com a saúde dos pés, especialmente as que sofrem de doenças como o pé diabético”, explica Manuel Portela, presidente da APP.

E acrescenta: “A diabetes é uma doença que afeta cerca de um milhão de portugueses e com o passar do tempo, estes doentes acabam por ter alterações dos membros inferiores, como défices sensitivos e motores, alterações da posição das articulações do pé, feridas e infeções (pé diabético). Como tal, recomendamos que, além de uma dieta equilibrada e uma avaliação regular da taxa de glicemia, as pessoas sigam os cuidados que são recomendados pelos profissionais de podologia após estes terem realizado um diagnóstico prévio.”

É importante que os doentes que sofrem de pé diabético sejam acompanhados por um podologista devidamente certificado e que todos os dias, ou pelo menos uma vez por semana, os pés sejam examinados num local bem iluminado, de maneira a que seja possível verificar a existência de qualquer lesão, tais como cortes, calos, bolhas, micoses, fissuras, feridas ou alterações de cor.

No âmbito do Dia do Podologista, e do dia em que a Podologia comemora a sua regulamentação como profissão em Portugal, que se assinala no próximo dia 8 de julho, a APP vai realizar a caminhada com cerca de 30 quilómetros, pelos caminhos de Santiago de Compostela. A iniciativa tem como objetivo homenagear a atividade de Podologia e dos Podologistas.

A caminhada que pretende unir a Sé do Porto à Catedral de Santiago de Compostela, conta com a participação dos sócios da APP e profissionais de podologia.

Share