Fuja das infeções nos pés nesta primavera

No final do mês de março chega a primavera. Normalmente é nesta estação do ano que o bom tempo começa a ser regular e o contacto com o sol e o suor são alguns dos responsáveis por irritações ou infeções. Uma das principais zonas do corpo afetadas por infeções são as unhas dos pés, pois estão sempre mais expostas a sítios quentes, húmidos e escuros.

Estas infeções estão divididas em dois principais tipos: As infeções fúngicas que são provocadas por fungos e que têm como local ideal de crescimento as zonas quentes e húmidas; e as infeções bacterianas, que são provocadas por traumatismos diretos, indiretos ou até mesmo pelo próprio calçado.

É sabido que as infeções mais comuns nas unhas são os dermatófitos, um tipo de infeção fúngica que provoca alterações do ponto de vista de forma, transparência, cor, espessura da unha e que, na sua fase inicial, nem sempre são dolorosas, passando até despercebidas. Muitas vezes, a porta de entrada para os fungos nos pés, pode estar relacionado com uma unha mal cortada, uma unha que descolou ou que sofreu um pequeno traumatismo e ficou com um hematoma. Uma vez dentro da unha, o microrganismo entra na pele, cresce e prolifera-se, por vezes, a todas as outras unhas que ficam com um aspeto feio. O tratamento local, o desbridamento, o rebaixamento da própria unha ou a utilização de técnicas também mais inovadoras como é o caso do laser costumam obter bons resultados, mas nem sempre são levados até ao fim pelos doentes por serem processos demorados.

Mas para além das infeções fúngicas nas unhas, existem também as infeções bacterianas. As onicocriptoses, mais conhecidas como unhas encravadas, são as mais comuns neste tipo de infeções. Elas desenvolvem-se à volta da própria unha e normalmente são muito dolorosas e incapacitam muitas vezes a marcha. O calçado adequado é um fator importante para ajudar a tratar esta infeção. Descongestionar toda a zona infetada, drenar e fazer o tratamento devido de antibioterapia são outros passos importantes que o podologista tem em conta para tratar devidamente do pé com infeção bacteriana.

Mesmo que, nesta estação do ano que se aproxima, seja mais provável obter estas infeções, existem sempre cuidados a ter para as prevenir. A higiene, a hidratação e a secagem, quando feitas da melhor forma, são as melhores medidas para antecipar este tipo de doenças.

O calçado adequado, que não aperte o pé, também é fundamental para evitar as infeções. Mesmo tendo sido pensados para proteger os pés, o calçado que seja demasiado apertado ou que magoe o pé, comprimindo os dedos, torna-se num mecanismo de agressão também para as unhas, pois muitas vezes acabam por desenvolver um processo inflamatório que evolui, até que se formem as infeções bacterianas. Também a nível de infeções fúngicas, o próprio calçado vai retendo humidade no interior e essa humidade é um fator preponderante para a evolução e crescimento de fungos.

Desta forma, quando chegar a primavera, é importante ter atenção e cuidado com os pés. Se não forem bem tratados, o risco de sofrer infeções aumenta e as lesões também são mais favoráveis de aparecer. Por isso, consulte um podologista sempre que exista qualquer sinal ou sintoma de patologia nos pés, ou no caso de não existir qualquer alteração nos pés deverá realizar uma consulta de podologia, uma vez por ano como medida preventiva.

Share